HOME HISTÓRIA NOTÍCIAS EVENTOS VÍDEOS WHAT'S UP? CALENDÁRIO RESULTADOS ENTREVISTAS HINO DO ZZ
 
O CAMPEÃO MARCELLUS


Marcellus Andrade é um dos mais hábeis jogadores de botão que temos aqui em Pernambuco.Sempre está conquistando troféus e medalhas. Em seu currículo consta o título de campeão do Nordestão de 2008, realizado na bela cidade de Maceió- AL. Nossa equipe o procurou para um bate-papo e ele nos atendeu com a educação e fineza peculiares a este atleta. Abaixo mostraremos como foi a descontraída entrevista que ele concedeu a este site.

1. Marcellus, há quanto tempo você joga botão e como tudo começou?

- Bom, jogo há cerca de 35 anos, porém houve um hiato entre os anos 80 e o início de 2000. Tudo começou quando eu e alguns amigos nos reuníamos todas as tardes, após o dever de casa da escola(risos), num galpão do pai de um deles e lá disputávamos as partidas numa mesa de eucatex, por sinal muito bem feitas. Os botões, em sua maioria,de chifres,eram adquiridos na famosa lanchonete A SERTANZINA, localizada no centro de Recife ou na antiga Casa de Detenção, onde atualmente funciona a Casa da Cultura. Ainda guardo com muito carinho o meu primeiro time. Jogávamos com bola de vassourinha e a regra adotada era a tradicional leva-leva sem limites de toques coletivos ou individuais. Foram bons tempos aqueles.

2.Quais as suas maiores conquistas e quais as suas maiores decepções?

- Minha maior conquista foi o título de Campeão do Nordestão de 2008. Decepções? Felizmente não as tenho.

3.Qual ou quais são os seus ídolos no futemesa?

-São todos aqueles que praticam esse esporte de maneira leal e honesta.

4.Qual a regra que você acha mais atraente?

- Sem dúvida é a que pratico, a dos 12 toques, por ser bastante dinâmica e onde cada ataque seu ou do adversário é um perigo iminente de GOL. Também tenho atração, um pouco menor, pela regra pernambucana ( a da bola de borracha)

5. Faria algumas alterações na regra dos 12 toques?

- Acho que sim, como por exemplo aumentar a largura do goleiro; chutes a gol só no passe e isso, na minha opinião, dificultaria um pouco para aqueles que não possuem uma boa técnica. Por outro lado, essas mudanças obrigariam esse pessoal sentir a necessidade de evoluir tecnicamente, aumentando ainda mais o nível do futebol de mesa em nosso Estado.

6. O que você acha de termos a oportunidade de conhecer a bola antes das competições?(Na maioria das vezes treinamos com um tipo de bola e quando vamos começar os certames nos deparamos com uma bola totalmente diferente daquela que conhecíamos. Ou é mais pesada, ou é mais leve.

- Na verdade não sinto essa dificuldade. Já passei por essa experiência e tudo correu bem nos meus jogos.

Que habilidade!!!! (grifo nosso)

7. Você ainda joga por prazer ou mais para ganhar títulos?

- Jogo por puro prazer e lazer.Mas se as vitórias e títulos aparecerem serão bem-vindos (risos...)

8. Considera o nosso esporte bem divulgado?

- Acho que temos um divulgação razoável. Basicamente só temos informações via internet. Poderíamos trabalhar aqui em nosso Estado uma maior divulgação através de outras mídias. Rádio e Televisão, por exemplo.Isso atingiria um público considerável.

9. O que fazer para conquistar mais praticantes, uma vez que sentimos que a garotada está mais interessada nos GAMES DA VIDA?

-Uma boa divulgação nas mídias citadas anteriormente e também o trabalho de formiguinhas tentando resgatar aquelas pessoas que um dia jogaram o futemesa e que gostariam de retornar.

10. Se você fosse escolher seis atletas para representarem Pernambuco numa competição nacional, quem você escalaria?

-Prefiro não responder essa questão.

11.Que acha da ideia de termos árbitros nos jogos?

- Acho válida apenas para alguns casos isolados.

12. Você acha o jogador de botão com tendências ao egocentrismo? Daqueles que se acham superior a todos...

- Bem, não posso generalizar mesmo porque não conheço o pessoal do Sul/Sudeste. Porém posso afirmar com certeza que em Pernambuco não existe esse comportamento.

13.Acha que o futebol de mesa poderá se transformar numa modalidade olímpica?

- Infelizmente não acredito nisso.O nosso esporte ainda é visto de maneira amadora e tido por muitos como brincadeira de criança.

Marcellus, agradecendo sua gentileza deixamos você à vontade para acrescentar algo que faltou e que gostaria que fosse debatido.

- Quero agradecer pela oportunidade o que me deixou bastante honrado.Também quero deixar meus parabéns a todos os que fazem o futemesa em nossa terra.
  16/12/2016 - BEL
  26/05/2015 - ENTREVISTA COM MARCELO UCHOA
  26/05/2015 - ENTREVISTA COM MARCELO UCHOA
  30/09/2013 - MATHEUS TINÉ
  05/05/2013 - ENTREVISTA COM FLÁVIO AFA
  30/08/2011 - RAFA MOREIRA
  19/05/2011 - HUMBERTO SECURÃO
  13/02/2011 - PP
  11/09/2010 - LUIZ CARLOS
  28/08/2010 - O ALAGOANO ROBERTO
  28/05/2010 - ÁLVARO PATRÍCIO
  22/05/2010 - AKILES CUSTÓDIO
  14/05/2010 - SÉRGIO ARAGÃO
  05/09/2010 - DIDI VASCAIANO
  02/05/2010 - O CAMPEÃO MARCELLUS
  19/04/2010 - MARCELO CARIOCA